Confusão entre sindicalistas e GCM - Foto: Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região

Durante uma assembléia realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté para discutir a negociação da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de funcionários da LG, uma confusão generalizada se desencadeou na manhã dessa quinta-feira (30), entre manifestantes, Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal. Dois ficaram feridos e uma pessoa foi detida e levada ao 3º Distrito Policial.

Em nota o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região, o SINDMETAU, acusa a GCM de iniciar o tumulto com truculência. Segundo os sindicalistas, foram utilizadas bombas de efeito moral, tiros de borracha e spray de pimenta contra dirigentes sindicais. Não houve feridos entre os funcionários.

A Guarda Civil dava apoio ao trabalho da Polícia Militar no momento da confusão.

“Temos que repudiar a presença da Guarda Civil Municipal, que não deveria estar aqui, e criou um tumulto, agredindo diretor do Sindicato e desorganizando todo o processo que nós fizemos. Nós temos tradição de negociar, dialogar, conversar e a GCM veio aqui tumultuar todo esse processo”, afirma o presidente do Sindmetau, Claudio Batista, o Claudião.

Ainda de acordo com o Sindicato, existia um acordo com a Polícia Militar para a realização da assembléia. A Polícia Militar e Prefeitura de Taubaté, responsável pela GCM, informaram que os guardas foram atacados por manifestantes com bombas caseiras.

“A GCM prestou apoio à Polícia Militar no momento do incidente no exercício de agentes de segurança. As bombas atingiram 2 PMs e 2 GCMs e foi registrado um Boletim de Ocorrência de lesão corporal contra o sindicalista”, afirma em nota a Secretaria de Segurança Pública Municipal.

Também em nota a Polícia Militar informou que “Durante manifestação sindical, foram atirados bombas caseiras contra os Policiais Militares e Guardas Municipais, que estavam no local, ferindo um policial no rosto e um GCM na perna. Uma pessoa que portava artefatos explosivos foi detida e conduzida ao Distrito Policial. Foi necessário o uso de meios moderados para restabelecer a ordem no local e permitir que os funcionários acessassem o local de trabalho”.

Um vídeo publicado pelo SINDMETAU nas redes sociais mostra momentos da confusão e um homem ferido supostamente por uma bala de borracha. Assista abaixo:

Mesmo com todo o tumulto os sindicato informou que os trabalhadores aprovaram que o impasse no valor da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) seja encaminhado para dissídio no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de Campinas. A fábrica da LG permanece em estado de greve.

 

Confira outras notícias:

Clique aqui e confira as últimas notícias do Portal Quiririm News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *