Sindicalistas estão em frente a fábrica - Foto: Reprodução/Facebook

Mais uma tentativa de solucionar o empasse entre o Sindicato dos Metalúrgicos e a Volkswagen de Taubaté foi descartada. Uma reunião realizada em Campinas-SP no Tribunal Regional do Trabalho, terminou sem acordo entre a Volks e o Sindicato, que buscavam por  um fim à greve que já dura dez dias na fábrica de Taubaté.

A negociação entre as partes durou aproximadamente quatro horas e ficou definida mais uma audiência no T.R.T. para a segunda-feira (31), e os trabalhadores vão permanecer em greve.


O empasse teve inicio após a demissão de 50 funcionários da Volks – Unidade Taubaté. Após as demissões sindicalistas e trabalhadores pararam os trabalhos dentro da fábrica.

Reivindicações:

O Sindicato dos Metalúrgicos quer a revogação das demissões e alega que a fábrica descumpriu um acordo firmado em 2012 que garantiria os empregos na unidade Taubaté até 2017.

O outro lado: 

Através de nota, a Volkswagen afirmou ter buscado todas as soluções e diversas medidas de flexibilidade para evitar as demissões, como férias coletivas, banco de horas entre outras. Em relação ao acordo firmado em 2012 a fábrica esclarece que,  “Há um Acordo Trabalhista vigente que foi estabelecido em premissas de mercado e vendas que não se confirmaram. Quando o acordo foi firmado, após anos de crescimento, a perspectiva era que a indústria automobilística atingisse mais de 4 milhões de unidades em 2015, mas o que ocorreu de fato foi uma retração para menos de 2,7 milhões. Considerando que a Volkswagen pauta suas Relações Trabalhistas em um modelo de diálogo permanente, e busca estabelecer condições para um futuro sustentável da unidade de Taubaté, a Empresa procurou o Sindicato para discussão de alternativas ao cenário apresentado”, disse em nota.

 

Confira outras notícias:
Clique aqui e confira as últimas notícias do Portal Quiririm News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.