Renan Dal Zotto em coletiva de imprensa - Foto: Renato Antunes

Renan Dal Zotto foi apresentado, nesta segunda-feira, pelo prefeito de Taubaté, Ortiz Júnior, e falou à imprensa sobre seus novos desafios agora dirigindo um clube, em paralelo ao seu trabalho como treinador da Seleção Brasileira Masculina de Vôlei.

O técnico assinou contrato até o final da próxima Superliga, em 2020. Demonstrando muito entusiasmo em sua nova casa, Dal Zotto falou já do início dos trabalhos com os atletas:

“Será já nesses próximos dias que vou poder conhecer melhor o elenco. Já trabalhei com vários jogadores que estão aqui hoje, e tantos outros eu trabalho atualmente na Seleção Brasileira. Esses primeiros dias serão fundamentais para nós podermos construir um padrão de jogo para o time. Esse padrão você monta com as ferramentas que você tem, e não com aquilo que eu acho que é o certo. Nesse primeiro momento vai ser muito importante conhecer as potencialidades para poder extrair o melhor de cada jogador”.

Sobre o fato de se dividir entre o cargo de técnico do Taubaté e também da Seleção Brasileira Masculina, Renan deixou claro que as duas atividades são perfeitamente conciliáveis. “Espero ver a equipe de Taubaté na final da Superliga, vamos trabalhar duro para isso. E dois dias depois estarei na Seleção Brasileira, mas não há nenhum tipo de problema nessa sobrecarga de trabalho. Nosso planejamento foi montado para que um trabalho não comprometa o outro. Hoje em dia é muito comum no mundo todo técnicos de Seleções também atuarem em clubes”, disse.

Sobre a chegada à cidade de Taubaté e seu acerto com o Vôlei Taubaté, Renan fez questão de frisar que as negociações transcorreram de forma tranquila. “Começamos uma relação muito legal, e foi fácil aceitar a proposta do Taubaté. Acertamos os detalhes e topei começar esse trabalho. Foi uma decisão importante para mim essa mudança, deixar minha família, etc. Mas se tornou uma decisão tranquila dada a forma com que as conversas entre os gestores do projeto do Vôlei Taubaté e eu se deram. Eles me transmitiram muita segurança, e aposto muito nessa equipe, nesse projeto, e estou animado para começar logo essa caminhada com o Taubaté.”, explicou..

Renan Dal Zotto assume a equipe nesta segunda-feira, e comandará os treinos para o jogo da próxima rodada da Superliga Masculina de Vôlei 2018/2019. O treinador já estará em quadra com o time na próxima quinta-feira, 28/02, quando a equipe de Taubaté recebe o Vôlei Ribeirão.

 

 

Histórico como atleta e treinador
Renan Dal Zotto nasceu em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, em 19 julho de 1960.

Esteve nas seleções do Brasil dos 16 aos 29 anos. Neste tempo, representou o Brasil em três edições de Jogos Olímpicos, três Mundiais, três Pan-Americanos e dois Mundialitos. Criador do saque Viagem ao fundo do mar, foi um dos principais responsáveis pela popularização do voleibol no país, sendo um dos grandes nomes da chamada Geração de Prata, que foi vice-campeã dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984.

Na Itália de 1988 a 1993, Renan colecionou títulos – 11 no total – por dois dos principais times do país: Maxicono de Parma e Messaggero de Ravenna. Foi campeão italiano, europeu e mundial de clubes, tendo sido o melhor jogador estrangeiro do Campeonato Italiano e melhor jogador da Supercopa.

Na volta da Itália, em 1993, encerrou sua carreira como atleta e deu início a um novo momento, se tornando o treinador do Palmeiras, em que foi vice-campeão da Superliga masculina e do Campeonato Paulista.

Em 1995 se transferiu para o time do Chapecó, de Santa Catarina, e dois anos depois passou a dirigir a equipe Olympikus, no Rio de Janeiro, onde ficou mais dois anos.

Então, a carreira de Renan Dal Zotto passou por mais uma mudança no ano de 1999, quando assumiu o cargo de gerente da Unisul, novamente em Santa Catarina. Nesta função, passou seis anos.

A vontade de voltar para as quadras falou mais alto e, em 2005, Renan passou a comandar a equipe de Florianópolis, time em que também era gestor. Na equipe catarinense somou quatro títulos da Superliga masculina no time formado por jovens que se tornaram ídolos do esporte como Bruninho e Lucão. A última experiência como técnico foi pelo italiano Sisley di Treviso, em 2008, quando foi campeão da Supercopa italiana.

Sua relação com a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) teve um início mais próximo em 2013, quando aceitou o convite para integrar o Comitê Gestor da Superliga. Em 2014, assumiu o cargo de Diretor de Marketing, onde ficou até 2015, quando passou a ser o Diretor de Seleções da CBV. Saiu desta função logo após a conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Em 2017 assumiu a seleção brasileira no lugar do vitorioso Bernardinho. Já no primeiro ano, conquistou duas medalhas de ouro – no Campeonato Sul-Americano e na Copa dos Campeões – e uma de prata, na Liga Mundial. Em 2018, levou o Brasil a grande final do Campeonato Mundial e foi vice-campeão. E agora segue comandando a seleção brasileira e o time de Taubaté.

 

 

 

Confira outras notícias:

Clique aqui e confira as últimas notícias do Portal Quiririm News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *