Vereador Carlos Peixoto durante sessão na Câmara de Taubaté - Foto: Divulgação

Desde o início das operações dos radares na cidade de Taubaté, um dos vereadores que mais criticaram a velocidade máxima permitida nas ruas monitoradas, foi o vereador Carlos Peixoto (PMDB).O parlamentar é contra a velocidade que segundo ele, não é compatível com a avenida.

“Hoje já estão arrumando muitas avenidas, mudando de 40 km/h, até para 60 km/h. Para mim é uma velocidade compatível com qualquer avenida de Taubaté, aí eu concordo. Mas, foram colocados 60 radares, tudo de uma vez só”, disse Peixoto.


Carlos disse que é capaz de provar e que já foi pedida a documentação, que houve um aumento no número de acidentes de trânsito na cidade. “O motorista anda olhando as placas (e acaba não prestando atenção no tráfego), ele não sabe onde estão os radares, para ele são muitos”, afirma.

O parlamentar lembrou que o próprio prefeito respondeu, em entrevista à TV Câmara, que está havendo acidentes fracos, mas que está diminuindo o número de mortes.

“Concordo plenamente, agora acho também que deveria ter dado um tempo a mais de adequação da população aos radares, para que os motoristas pudessem conhecer melhor onde estão os radares para poder trafegar [dentro do limite de velocidade]”, ressalta Carlos Peixoto.

O vereador contou que, no programa Conexão Popular da TV legislativa, falou e que voltava a afirmar que radar móvel “é pegadinha”.

“Tem dois radares móveis em Taubaté. Se você quiser saber onde estão, tem que entrar cedo no site da Prefeitura para descobrir. Quem agora tem obrigação de sair de manhã, procurar no site de Prefeitura e saber onde está o radar móvel que o prefeito está colocando?”, questionou.

Carlos disse que radar móvel é “uma fábrica de multas” e que a partir dessa semana as notificações de multas começarão a chegar às casas e que as reclamações irão recair na Câmara.

“Garanto que grande parte dos motoristas vai perder a carteira. Se o motorista passar pela avenida Marechal [Deodoro da Fonseca] desavisado, já perdeu a CNH (carteira nacional de habilitação). Ali são seis radares se ele for e voltar”, reclama o vereador.

O parlamentar avaliou que radar móvel é “inadmissível, desrespeito com o cidadão”.

“É desconfiar do cidadão! Não vamos aceitar nunca e vou continuar batendo enquanto tiver esse radar móvel em Taubaté. É pegadinha para fazer uma fábrica de multa”, conclui Carlos Peixoto.

Confira outras notícias:
Clique aqui e confira as últimas notícias do Portal Quiririm News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.