Equipe do Vôlei Campinas comemora vaga inédita para a final da Superliga - Foto: Quiririm News

Com o caldeirão do Abaeté lotado na noite dessa terça-feira (5), nem mesmo a torcida foi suficiente para empurrar o Vôlei Taubaté para sua primeira final de Superliga. Com pontos disputados um a um, em jogo definido no tie-break, a equipe do Vale do Paraíba foi punida com cartão vermelho por retardar o jogo no match-point do último set, e deixou escapar a vaga e viu a confusão generalizada entre jogadores e árbitro, já que o cartão vermelho equivale a um ponto para o adversário, ponto este que encerrou o jogo dando a vitória e a vaga para a final da Superliga para o Campinas.

A partida, muito disputada desde o primeiro set, fechou com parciais 25/23, 19/25, 25/22, 20/25 e 13/15, com vitória para o Campinas em 3 sets a 2. Com a bola em quadra, se viu muita rivalidade e equilíbrio durante a partida, que caminhava para um final de tie-break emocionante, onde qualquer equipe poderia sair com a vitória.

O que não estava no roteiro, foi, após 2h50 de partida, o último ponto do jogo ser com bola parada e vir através de uma punição com cartão vermelho. O árbitro central da partida, Rogerio Espicalsky aplicou a regra que garantiu o último ponto do jogo ao Campinas, o que deixou os jogadores do Taubaté furiosos, e de imediato foram para cima do árbitro.

“Nós tomamos um retardamento, não me lembro agora se foi no quarto ou no quinto (set), e a situação da troca, quem estava indo substituir entrou com a placa errada, ele deu que o tempo estourou, mas na verdade o tempo quem determina é a mesa, e a mesa não tocou a campanhia, e aí a cobrança foi forte. Sinceramente, eu não consigo te falar se estava dentro do tempo para ele usar dessa regra ou não. Uma fatalidade que aconteceu dentro de casa”, analisa o técnico do Taubaté Cezar Douglas.

Foto: Quiririm News

Momento em que Wallace do Campinas, alerta o árbitro sobre o segundo cartão por retardamento – Foto: Quiririm News

Com a confusão dentro de quadra, o árbitro teve que sair escoltado por seguranças, onde ficou dentro de uma sala até que os ânimos se esfriassem, “A equipe já tinha tomado (um amarelo) por retardamento no início do terceiro set, o técnico atrasou a entrega da papeleta depois que eu já tinha solicitado o retorno para a quadra. E no final do quinto set, no momento que aconteceu tudo, o Deivid (atleta do Vôlei Taubaté), entrou com a plaqueta errada, atrasou a substituição e teve que voltar para trocar, isso também configura o retardamento, é um erro exatamente da equipe, e a outra equipe (Campinas), já havia me cobrado, eu tentei e falei, eu não quero acabar o jogo assim, mas, realmente eu tive que cumprir a regra. Não tinha como passar”, explica a decisão tomada o árbitro central, Rogerio Espicalsky.

Foto:

Árbitro Rogerio Espicalsky é escoltado para fora de quadra – Foto: Quiririm News

No meio do tumulto, o atleta do Taubaté, o cubano Sanchez, um dos mais indignados, teve que ser contido pelos companheiros. A torcida revoltada xingou o árbitro e alguns copos de água foram arremessados para dentro da quadra.

Projeto da Prefeitura de Taubaté, o Prefeito Ortiz Junior (PSDB), entrou em quadra em meio a confusão entre atletas e arbitragem e questionou o juiz para defender o time da cidade, “Eu fui dizer para ele que é um absurdo ele terminar um jogo como esse, semifinal de Superliga, no tie-break, 14 a 13 para o time de Campinas, alegando retardamento. Em um jogo de duas horas e meia, quer dizer, ele é um completo insano, ele fez uma grande bobagem. Eu não estou dizendo que a desclassificação se deu por conta do árbitro, estou dizendo que ele estragou esse jogo”, afirma o prefeito de Taubaté, visivelmente irritado.

Foto:

O oposto Sanchez é contido por companheiro – Foto: Quiririm News

Foto:

Prefeito Ortiz Junior reclama com árbitro  – Foto: Quiririm News

Com o resultado o Vôlei Campinas vai à final da Superliga pela primeira vez e enfrenta o atual campeão Cruzeiro, em partida a ser disputada no ginásio Nilson Nelson em Brasília-DF, às 10h do domingo, dia 10 de abril.

Futuro do Vôlei Taubaté:

Com a eliminação da Superliga, vários atletas do Vôlei Taubaté tem o seu contrato encerrado, caso de Lucarelli, Lipe, entre outros. Apesar da derrota amarga, o Prefeito Ortiz Junior garantiu mais uma temporada da equipe na cidade e citou alguns nomes que já renovaram contrato.

“O time continua, temos pelo menos mais uma temporada, nós temos aí o Rapha já com o contrato renovado, o Lucarelli em vias de renovação, Otávio já com contrato renovado, e a gente está discutindo a renovação, obviamente, dos outros atletas. A gente tem que reforçar esse time. Para a próxima temporada, eu espero que seja de títulos, é um projeto que a cidade gostou e vai continuar pelo menos enquanto eu estiver aqui (como Prefeito), garante Ortiz.

Confira outras notícias:
Clique aqui e veja todas as notícias mais recentes do Portal Quiririm News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *